Conheça a Arquitetura Moderna — antes dos prédios, movimentos sócio-políticos criaram as artes

Redação Brasil Paralelo
Redação Brasil Paralelo
8/2/2022
Compartilhe com amigos

A arquitetura moderna foi desenvolvida a partir dos ideais políticos e sociais do modernismo. Para além de um estilo de construção, os prédios modernos buscam transmitir uma mensagem. Qual?

O que você vai encontrar neste artigo?

Artigos novos direto no seu Email

Mantenha-se sempre informado com os conteúdos da Brasil Paralelo. Cadastre-se!

O que é a arquitetura moderna?

A arquitetura moderna é um estilo arquitetônico que surgiu no início do século XX. O estilo busca dar forma material ao que era apenas ideias nas mentes de certos autores, como Rousseau, Jean Paul Sartre e Horkheimer

As construções modernistas são marcadas pela tentativa de fazer obras simples e úteis, baseada na filosofia utilitarista

A arquitetura modernista visa ser útil para a locomoção humana, focando assim a parte física do homem. Seus artistas rechaçavam a ideia dos principais movimentos antigos: transmitir beleza. 

Em 1908, Adolf Loos publicou um artigo intitulado Ornamento e Crime. Nos escritos, Loos considerava que os ornamentos das arquiteturas antigas deveriam ser combatidos avidamente, devido a uma suposta superficialidade das decorações. 

Segundo ele, no livro citado:

“A arquitetura não é uma arte, pois qualquer coisa que sirva a um objetivo se exclui da esfera da arte”.

Para a arquitetura tradicional, a matéria seria um instrumento para revelar a beleza transcendental, como formulado por Platão. O foco era encantar a alma e as potências superiores do homem, a inteligência e a busca pelo bem. 

A busca por utilidade da arquitetura moderna também se baseia na estética utilizada na revolução industrial.

Essa revolução consolidou o estilo de vida liberal e utilitarista ao redor do mundo, dando início ao modernismo. 

Os artistas modernos buscam simular traços de fábricas em suas obras.

Uma das maneiras de fazer isso é utilizar elementos como concreto e metal, que passam a impressão de elementos modernos criados nas indústrias. 

O gosto pela estética das fábricas também advém da ideologia materialista e utilitarista presentes em Karl Marx.

Arquitetos importantes para o modernismo, como Lina Bo Bardi, Oscar Niemeyer e Kenneth Frampton eram marxistas. 

Algumas frases marcantes de um dos maiores intelectuais da arquitetura moderna, Le Corbusier, são: 

“nova civilização da máquina”, “revolução arquitetônica”, “ ruptura com costumes”, “ hábitos visuais renovados ”, “rompimento da linha evolutiva”, “ renascença arquitetônica”, “renovação e nova consciência”. 

(Citações do artigo Arquitetura Moderna: (Con)tradições e (Inov)ações, de Elisabete Reis, ex-coordenadora do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro).

Os prédios estatais da União Soviética também fazem parte do movimento modernista, demonstrando a relação entre ideologia e arquitetura moderna. 

As obras das 7 artes transmitem mensagens, a mensagem da arquitetura moderna, de acordo com os escritos de seus membros, pode ser definida como: o serviço utilitário ao corpo do homem.

Os 5 pilares da arquitetura moderna

Os 5 pilares da arquitetura moderna foram elaborados pelo arquiteto Le Corbusier, em 1929. Eles são considerados como a base dos projetos de construções modernistas até os dias de hoje.

Os 5 pilares são:

  1. pilotis;
  2. planta livre; 
  3. fachada livre;
  4. janelas em fita;
  5. terraço jardim.

No início de sua elaboração, grande parte dos modernistas buscavam usar os 5 pontos. Atualmente, eles ainda são utilizados, mas não necessariamente todos os 5. 

Pilotis

O pilotis é uma estrutura de pilares que eleva o prédio, de maneira a criar um vão livre no térreo. O exemplo mais clássico da estrutura no Brasil é o MASP (Museu de artes de São Paulo). 

A intenção é criar um espaço a mais para a circulação das pessoas.

masp
Museu de Arte de São Paulo - MASP.

Planta livre

A planta livre refere-se à criação de espaços com a menor quantidade de paredes divisórias possíveis. É a criação de andares totalmente abertos. 

A intenção é criar espaços que possam facilmente ser utilizados para novas funções conforme o prédio mude de dono ou de função.

haruo-mikami-casa-dos-pórticos
Casa dos Pórticos, de Haruo Mikami.

Fachada livre

vila-modernista-1931-le-corbusier
Design de vila modernista, 1931, feito pelo arquiteto Le Corbusier.

A fachada livre é uma consequência da planta livre. Já que a estrutura interna do prédio quase não possui peso, devido a planta livre, o formato da frente do edifício (fachada) ganha novas possibilidades de elaboração. 

Janelas em fita

janelas-em-fita
Janelas em fita, conceito de arquitetura moderna.

As janelas em fita são possíveis devido a liberdade que o edifício modernista ganha com a planta livre. A intenção das janelas em fita é enquadrar o ambiente, de modo que o edifício dê destaque à natureza.

Le Corbusier afirmava que um dos maiores benefícios da janela em fita seria acabar com os ornamentos presentes nos prédios antigos.  

Terraço jardim

terraço-jardim
Terraço de prédio com jardim.

O terraço jardim surgiu a partir do princípio utilitarista da arquitetura moderna. Ao invés de se fazer terraços e tetos inutilizáveis, os modernistas usam o último andar para criar um espaço útil para qualquer coisa que o dono desejar.

Principais autores e obras da arquitetura moderna

Alguns dos principais autores e obras da arquitetura moderna são: 

  • Le Corbusier: prédios Unité d'Habitation, criados para recuperar a Europa pós II Guerra Mundial. 
  • Frank Lloyd Wright: Casa da cascata;
  • Oscar Niemeyer: diversos prédios de Brasília, como o palácio do planalto e o edifício do Congresso Nacional;
  • Lina Bo Bardi: Museu de Arte de São Paulo. 
  • Kenneth Frampton: livro História crítica da arquitetura moderna e o complexo de apartamentos The Corringham, localizado em Londres.

Lista das principais características e objetivos

As principais características e objetivos da arquitetura moderna são: 

  • busca pela criação de prédios que sejam práticos e úteis, em detrimento da busca pela beleza;
  • criação de prédios baseados na estética da revolução industrial;
  • desvalorização dos ornamentos presentes nas obras arquitetônicas tradicionais, como o palácio de Versalhes e a Basílica de São Pedro;
  • vínculo da arquitetura com ideais utilitaristas e materialistas; 

Arquitetura Moderna no Brasil

Lúcio-Costa
Foto de Lúcio Costa.

A arquitetura moderna chegou ao Brasil através da influência de Lúcio Costa, em 1930.

O estilo europeu não era bem visto pela maior parte dos arquitetos brasileiros. Contudo, mesmo assim, Lúcio Costa conseguiu se tornar diretor da Escola Nacional de Belas Artes e ensinar o modernismo.

Um de seus alunos foi Oscar Niemeyer. 

A partir desse momento o movimento passou a ganhar cada vez mais força.

Arquitetos simpáticos ao modernismo criaram a Escola de São Paulo, uma instituição que buscava implementar o movimento nas construções brasileiras. Um dos principais nomes da Escola foi João Batista Vilanova Artigas.

Após a organização do movimento, a arquitetura moderna conseguiu se estabelecer no país, tornando-se o estilo escolhido para a construção da nova capital do país, a cidade de Brasília.  

O movimento da segunda fase do modernismo, atuante em todas as 7 artes, foi decisivo para o desenvolvimento da arquitetura moderna no Brasil.  

Comente e compartilhe. Quem você acha que vai gostar de ler sobre Arquitetura Moderna?

A Brasil Paralelo é uma empresa independente. Conheça nossas produções gratuitas. Todas foram feitas para resgatar os bons valores, ideias e sentimentos no coração de todos os brasileiros.

Compartilhe com amigos

Artigos novos direto no seu Email

Mantenha-se sempre informado com os conteúdos da Brasil Paralelo. Cadastre-se!

Outros Artigos

VER TODOS