Devido ao lançamento da série A Sétima Arte, não teremos os programas diários nessa semana. Retornaremos com a programação normal no dia 01 de novembro.

O que significou a queda do Muro de Berlim? Entenda um dos principais eventos do mundo moderno

Redação Brasil Paralelo
Redação Brasil Paralelo

A queda do muro de Berlim, para além de demonstrar a falha do socialismo e a vitória do livre mercado, possui significados mais profundos. Após anos de batalha sangrenta entre alemães orientais versus soviéticos, o muro foi enfim rompido, e a Alemanha se unificou novamente. A geografia e a geopolítica global foram alteradas. O significado da queda do muro de Berlim ecoa até hoje das mais variadas maneiras, possuindo sentido até mesmo para o Brasil contemporâneo.

O que você vai encontrar neste artigo?

Artigos novos direto no seu Email

Mantenha-se sempre informado com os conteúdos da Brasil Paralelo. Cadastre-se!

A construção do muro de Berlim

povo-separado-pelo-muro-de-berlim

O muro de Berlim foi construído na madrugada de 13 de agosto de 1961. Foi derrubado em 1989.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, a aliança existente entre EUA e União Soviética transformou-se no completo oposto. 

Perto do fim da guerra, os dois países já emergiram como as maiores potências do mundo recém-globalizado. 

As tensões entre os dois blocos ficaram claras quando o principal território da época foi conquistado: a Alemanha.

Eis o início da Guerra Fria.

Na confusão pós segunda guerra mundial, cada país administrava suas conquistas como bem quisesse, sem responder a ninguém.

A Alemanha deixou de ser um país autônomo, passando a ser metade da União Soviética e metade dos EUA, França e Inglaterra.

Durante o pós-guerra, os EUA e aliados investiram na reconstrução da Europa através do plano Marshall.

Já a União Soviética fez o oposto. Os comunistas aproveitaram a riqueza mineral e intelectual da Alemanha e a utilizaram para reconstruir a Rússia. 

Rapidamente, a diferença administrativa começou a ficar clara. 

Em pouco tempo, a Alemanha Ocidental já demonstrava pujança, uma vida boa com paz e liberdade, enquanto o lado oriental demonstrava o oposto.

Nos anos 60, a Alemanha Ocidental já possuía a 3ª maior economia do mundo.

A Alemanha Oriental estava sob o jugo totalitário da URSS. Érica Rieamann foi presa aos 14 anos, em 1945, por haver desenhado um laço na imagem de Stalin, exposta na sua escola.

Ela foi sentenciada a 10 anos de prisão em um antigo campo de concentração.

Esse não era um fato isolado, mas era prática comum do regime comunista.

Essa realidade é apresentada no documentário da BBC, A Alemanha Oriental — A vida por trás da cortina de ferro

Diante desse cenário, os alemães do oriente passaram a ir em massa para o lado ocidental.

Entre 1950 e 1961, aproximadamente 3,5 milhões de pessoas migraram da Alemanha Oriental para a Ocidental.

Esse cenário prejudicava a União Soviética. Sem muitas opções, os comunistas começaram a construir o muro no meio da madrugada, justamente para evitar outro deslocamento em massa já no dia seguinte. 

Revoltas populares e derramamento de sangue

Após a madrugada de 13 de agosto de 1961, muitas famílias ficaram separadas por mais de 20 anos.

Durante a construção do muro, havia a “linha da morte”: aqueles que tentassem atravessar a fronteira, eram prontamente baleados por um soldado soviético.

Rapidamente, o muro ficou pronto e foi sendo reforçado até a sua queda.

Em 1962, o muro já possuía 155 quilômetros de extensão e rodeava toda a Berlim Ocidental. 

Berlim ficava por inteira na área soviética; portanto, a parte ocidental era uma ilha capitalista.

mapa-muro-de-berlim

Neste mesmo ano, um segundo muro foi construído com distância de 100 metros para com o segundo, formando uma área cheia de guaritas com soldados armados, tornando impossível a travessia. 

Durante todo o tempo no qual o muro de Berlim ficou de pé, houve protestos dos habitantes da Alemanha Oriental.

Nesses 39 anos, mais de 100.000 tentaram ir para o lado ocidental, mesmo com o gigantesco muro.

Mais de 300 pessoas foram assassinadas durante as tentativas, aponta o site: memorial do muro de Berlim.

Outras 2000 pessoas foram encaminhadas para interrogatórios e nunca mais foram vistas. 

O povo unido derruba o muro

povo-unido-derruba-o-muro-de-berlim

A partir de 1989, o bloco comunista passou a sofrer grandes crises econômicas e sociais. 

  • Para conhecer mais sobre o período da queda do muro de Berlim, confira o vídeo do canal Hoje no Mundo Militar

O governo comunista já não conseguia sustentar suas próprias estruturas, principalmente seu sistema de repressão social.

A crise econômica diminuiu o poder de controle da União Soviética, levando à queda da Polônia e da Hungria.

Os povos destes países já estavam se manifestando desde alguns anos anteriores, fazendo crescer o movimento anticomunista cada vez mais.

Em 1989 o povo consegue derrubar a ditadura soviética na Polônia, e os húngaros destroem a cerca que os separava da Áustria, fugindo aos milhares para a Europa ocidental. 

Cada vez mais os povos dominados pelo totalitarismo soviético se rebelavam, até o movimento anticomunista chegar com força total na Alemanha em 1989. 

No final de 1989, em setembro, os alemães orientais passaram a organizar eventos proibidos pela União Soviética.

Uma Missa campal foi realizada, atraindo milhares de fiéis.

No final de setembro, a população alcançou o ápice da rebeldia anticomunista: as ruas de Berlim foram preenchidas por protestantes que exigiam o fim do regime soviético.

Após muita luta e repressão, os manifestantes conseguiram abrir os pontos de acesso para Berlim ocidental.

Sem que a URSS conseguisse manter seus regimes aliados e nem mesmo suas próprias estruturas, o povo começou a derrubar o muro no dia 9 de novembro de 1989.

O evento marcou a queda do comunismo institucional.

O que significou a queda do muro de Berlim?

A queda do muro de Berlim significou o fim da Guerra Fria, a falha intrínseca do sistema comunista e a não aceitação do homem por regimes totalitários. Sua queda possibilitou a unificação da Alemanha, bem como sua existência como país independente novamente. 

Esse evento histórico possui diversos significados em mais de um campo da vida humana. Alguns dos principais são:

  • O Fracasso do comunismo e a reinvenção do movimento;
  • A Necessidade do Direito Natural;
  • A Força de um povo unido contra o totalitarismo.

O Fracasso do comunismo e reinvenção do movimento

O primeiro e mais claro significado da queda do muro de Berlim é a insustentabilidade do sistema socialista-comunista.

Mesmo possuindo quase metade do território do mundo, os países comunistas não conseguiram se manter.

Contudo, até mesmo no panorama político a queda do muro de Berlim possui significados mais profundos.

Percebendo que a estratégia de dominação pela força não funciona, o movimento comunista passa a adotar o pensamento de Antonio Gramsci imediatamente após a queda do muro.

A estratégia de Gramsci visa implantar o comunismo através da cultura. Sua teoria instiga os revolucionários a mudar toda a cultura de uma nação aos poucos, até chegar na dominação das mentes. 

Em 1990 o Foro de São Paulo é formado.

  • Conheça o que é e como age o Foro de São Paulo, o plano comunista de tomada da América Latina.

Angela Merkel e Vladimir Putin, membros dos governos comunistas da cortina de ferro, passaram a atuar democraticamente.

O movimento comunista se reinventou desde as bases após a queda do muro de Berlim. 

  • Descubra como os comunistas moldam a mente dos jovens nas escolas e universidades brasileiras. O documentário Pátria Educadora elucida essa realidade. 

A Necessidade do Direito Natural

No momento que o homem passa a afirmar que não existe algo superior à sua vontade, tudo é possível, como disse Dostoiévski na obra Irmãos Karamazov

O governo comunista não aceitava a ideia de que existem direitos do homem que não podem ser retirados por outros homens.

A liberdade, a propriedade, o culto religioso e muitos outros direitos estão presentes em todas as culturas e até hoje muitos ainda buscam estes valores.

Impedir essa tendência natural do homem é impedir a possibilidade de viver.  

O governo da URSS suprimiu muitos direitos naturais e sofreu as consequências. 

A Força de um povo unido contra o totalitarismo

O governo soviético retirou as armas do povo alemão e não permitia acesso ao livre mercado e conteúdos não aprovados pela censura. 

Até hoje a Alemanha Oriental possui um IDH menor que a Ocidental.

Entretanto, mesmo em situação precária, os alemães lutaram pelos seus direitos e conseguiram conquistar a liberdade após anos de domínio.

Sem recursos, enfrentando um governo muito bem armado, a união organizada do povo fez com que sua vontade triunfasse. A pressão dos países e personalidades contrárias à URSS ajudou no processo. 

Após perder uma de suas principais fontes de renda, o governo soviético não iria se sustentar por mais tempo, necessitando encerrar a União Soviética e seu governo comunista.

Comente e compartilhe. Quem você acha que vai gostar de ler sobre o que significou a queda do muro de Berlim?

A Brasil Paralelo é uma empresa independente. Conheça nossas produções gratuitas. Todas foram feitas para resgatar os bons valores, ideias e sentimentos no coração de todos os brasileiros.

Artigos novos direto no seu Email

Mantenha-se sempre informado com os conteúdos da Brasil Paralelo. Cadastre-se!

Outros Artigos

VER TODOS