Devido ao lançamento da série A Sétima Arte, não teremos os programas diários nessa semana. Retornaremos com a programação normal no dia 01 de novembro.

As “saidinhas” de presos estão para acabar. Efeito do documentário Entre Lobos?

Projeto de lei que acaba com benefícios para criminosos foi aprovado pela Câmara dos Deputados.
Comunicação Brasil Paralelo
Compartilhe com amigos
4/2/2022

No dia 3 de agosto de 2022, a Câmara dos Deputados aprovou a reforma do projeto de Lei 6.579/13. Na reforma do texto, originalmente criado no Senado, o deputado Capitão Derrite (PL-SP) propôs o fim da saída temporária dos prisioneiros em datas festivas.

Atualmente, os presos do regime semiaberto podem sair da prisão para visitar a família e ir estudar. É um benefício dado para os prisioneiros que apresentam bom comportamento. O benefício foi concedido a Suzane von Richtofen, por exemplo. Condenada por assassinar os próprios pais, a criminosa saiu da penitenciária no dia das mães.

saidinha dos prisioneiros

Capitão Derrite participou do documentário Entre Lobos, produção original da Brasil Paralelo. O longa-metragem já é o documentário mais assistido sobre segurança pública do Brasil. Em sua tese principal, o ex-capitão da PM-SP defende que as penas devem ser mais rígidas para serem proporcionais aos crimes. Segundo ele:

“A Secretaria da Administração Penitenciária de São Paulo informou que na passagem de 2021 para 2022, 1.628 presos que deixaram as penitenciárias do Estado, durante a chamada ‘saidinha temporária de fim de ano’, não retornaram ao sistema prisional paulista.
Já existe a previsão legal de cumprimento de pena e progressão de regime de forma proporcional, a saída temporária causa a todos um sentimento de impunidade diante da percepção de que as pessoas condenadas não cumprem suas penas, e o pior, de que o crime compensa”.

A proposta do deputado Derrite foi aprovada com 311 votos a favor, apenas 98 deputados votaram contra. Após a aprovação, o texto voltou para o Senado com as reformas.

Caso os senadores aprovem a reforma, as “saidinhas” dos prisioneiros poderão acabar.

  • Leitura recomendada: conheça os maiores escândalos e as principais ações do Congresso Nacional ao longo da história do Brasil, leia o artigo.

A reforma foi realizada em um contexto de grande violência no Brasil. Segundo a secretária da administração penitenciária do estado do Rio de Janeiro, 42% dos criminosos não retornam para as prisões depois das saidinhas. 

No Brasil, a cada 10 minutos, 1 brasileiro é assassinado. De todos os homicídios, apenas 8% são resolvidos.

Os dados foram coletados pela ONG Rio e Paz. Em entrevista, o fundador da instituição declarou:

"Na Alemanha, mais de 98% dos homicídios são punidos, no Japão mais de 95%, mas no Brasil apenas 8% são elucidados".

No Brasil, é comum o medo de ir até a esquina. De parar no semáforo. De atender o telefone. As casas possuem grades nas janelas, os condomínios possuem câmeras em cada região. Os lares replicam a estrutura de prisões.

Sente-se que a vida está em risco, todos os dias. Situações tristes são comuns, não importa qual seja a cidade, estado ou condição econômica.

Buscando entender essa situação urgente, a Brasil Paralelo viajou de Norte a Sul, de Leste a Oeste para entrevistar as maiores autoridades do assunto. São mais de 50 entrevistados entre policiais, juízes, advogados, políticos, professores, intelectuais e jornalistas.

A Brasil Paralelo revela pela primeira vez as verdadeiras causas da insegurança que afeta todos os brasileiros. O filme Entre Lobos é o fruto de toda essa pesquisa. O longa também mostra o mundo real do combate ao crime, com o dia a dia e as dificuldades das polícias do Brasil.

Foi apresentado um olhar científico para o problema da segurança pública brasileira, amparado em dados e uma longa pesquisa livre de ideologias e desinformação.

No dia 20 de junho de 2022, o documentário Entre Lobos foi ao ar. Uma trilogia inédita sobre a maior crise da história recente do Brasil. O filme já é o documentário sobre segurança pública de maior sucesso do país.

Clique no link para ter acesso a Plataforma de Membros da Brasil Paralelo, onde o documentário já está disponível.

Ver todas as notícias