Devido ao lançamento da série A Sétima Arte, não teremos os programas diários nessa semana. Retornaremos com a programação normal no dia 01 de novembro.

O que é a teoria malthusiana? Descubra sua importância na história da humanidade

Redação Brasil Paralelo
Redação Brasil Paralelo

A teoria malthusiana influenciou centenas de governantes e intelectuais, causando grande impacto na história da humanidade. Em suas teses, Thomas Malthus defendeu o aumento da taxa de mortalidade e o fim da ajuda aos mais pobres, buscando garantir alimento para toda a população.

Conheça agora a teoria do economista inglês que é influente até nos dias de hoje.
Este é apenas um dos temas que o novo filme Cortina de Fumaça, da Brasil Paralelo, aborda.

O que você vai encontrar neste artigo?

Artigos novos direto no seu Email

Mantenha-se sempre informado com os conteúdos da Brasil Paralelo. Cadastre-se!

O que é a teoria malthusiana?

A teoria malthusiana, desenvolvida por Thomas Robert Malthus, é uma teoria demográfica que busca alertar a humanidade para o problema da falta de recursos naturais devido ao grande crescimento populacional.

Para o economista inglês, a população se desenvolve em progressão geométrica enquanto os recursos naturais se desenvolvem em progressão aritmética. Mas o que isso quer dizer?    

Ele quis dizer que em pouco tempo a população será tão grande, que não possuirá mais alimento para todos, além de outros recursos. Malthus afirmou que isso aconteceria em 200 anos após sua suposta descoberta.

Como ele escreveu no ano 1798, era de se esperar que sua teoria se cumprisse no ano de 1998.

Um dos principais motivos que levou Thomas Malthus a elaborar sua teoria foi a grande fome que a Inglaterra enfrentou antes da publicação de sua principal obra. Problema que se repetiria alguns anos depois no país.

Teoria neomalthusiana

Foi elaborada no início do século XX e tem como um de seus principais expoentes William Vogt e Garret Hardin. Assim como na teoria malthusiana, afirma que haverá falta de alimento para uma superpopulação mundial.

A diferença entre a teoria malthusiana e a teoria neomalthusiana fica mais clara por meio de uma comparação entre elas.

Soluções para o problema população x alimento segundo Malthus

Como solução para este problema urgente, Thomas Malthus fez as seguintes proposições:

  • As famílias devem ter poucos filhos, apenas os que conseguem sustentar;
  • Os casamentos devem acontecer quando os noivos estiverem mais velhos para terem menos filhos;
  • Não deve haver relações sexuais antes do casamento para não ocorrer o perigo de se ter filhos;
  • Não se pode ajudar os pobres para que estes não se reproduzam e gerem mais pessoas;
  • É necessário que a previdência social seja abolida nos períodos em que não houver guerras, pestes ou fome, para que a mortandade da população cresça.

Soluções para o problema população x alimento segundo os neomalthusianos

Já para os neomalthusianos, a solução é semelhante, mas varia em alguns pontos.

William Vogt, de forma parecida com Malthus, critica o avanço da medicina. Segundo ele, quanto mais vidas forem salvas, pior fica o planeta.

O autor best-seller louvou a prática do infanticídio realizada na Grécia antiga em seu livro “Road to Survival”. Vogt coloca esta prática como uma boa maneira de reduzir a população mundial.

Os neomalthusianos se diferenciam do malthusianismo clássico na sua defesa do uso de anticoncepcionais. Por ser um reverendo anglicano, Thomas Malthus era contrário a esta prática.

Outra diferença está na luta mais aberta dos neomalthusianos pela preservação do meio ambiente.

O ecologista, Garrett Hardin, argumentava que o colapso ambiental era inevitável, haja vista a proliferação desenfreada de humanos. A teoria coloca o ser humano na posição de inimigo do planeta.

Por que a teoria malthusiana foi considerada errada?

A teoria malthusiana foi considerada errada porque o ser humano aprimorou suas técnicas de produção, conseguindo garantir recursos suficientes para toda a população mundial. Contudo, muitos ficam sem alimento devido a maneira que sua distribuição ocorre.

producao-de-alimentos-para-o-aumento-do-numero-de-pessoas-no-mundo

Com o desenvolvimento tecnológico humano, terras inférteis passaram a produzir grandes quantidades de alimento.

O brasileiro, Alysson Paulinelli, por exemplo, desenvolveu na década de 80 técnicas e tecnologias que fizeram o cerrado brasileiro ser um dos maiores produtores agrícolas do mundo.

Antes de sua inovação, o bioma era infértil, seco, com pouca umidade e matéria orgânica.

O Brasil precisava importar alimentos para garantir a subsistência da população.

Paulinelli e sua equipe, então, trabalharam para recompor todos os elementos químicos, físicos e biológicos da região.

Com seu trabalho, o Brasil passou a ter uma agricultura tropical altamente sustentável e produtiva.

Atualmente, apenas 7% do território brasileiro é utilizado para lavoura. O Brasil, sozinho, fornece alimento suficiente para aproximadamente 900 milhões de pessoas no mundo todo.  

Outro exemplo são os kibutz de Israel. Mesmo estando no meio do deserto, os israelenses conseguem produzir alimento para a população a partir de pequenas comunidades com a utilização de tecnologia avançada.

Outro aspecto que a teoria malthusiana não previu adequadamente foi a extensão do planeta Terra.

O mito da superpopulação

superpopulacao-e-teoria-de-malthus

Todos os mais de 7 bilhões de habitantes do mundo conseguiriam viver em uma cidade do tamanho do Texas.

A cidade teria a mesma densidade populacional de Nova York, possuindo zonas industriais, áreas verdes, escritórios e residências.

Dessa maneira, apenas o Texas estaria ocupado por seres humanos, com o resto do mundo inteiro disponível para a produção de recursos.  

No Brasil, o homem ainda não pisou em 80% do território da Amazônia, que representa mais de 60% do território total do país.

  • Contribua para que mais artigos como este continuem a ser produzidos e torne-se Membro Patriota da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 mensais. Além disso, você acessa materiais exclusivos todos os meses e ajuda na expansão e continuidade deste trabalho.

Quem foi Thomas Malthus?

Quem-foi-Thomas-Malthus

Thomas Malthus foi um economista, sociólogo e clérigo protestante nascido no Reino Unido, em Westcott, no dia 13 de fevereiro de 1766. Graduou-se em Filosofia, Teologia e Matemática. Foi professor de Economia Política em Haileybury, de 1805 até sua morte em 1834.

Sua família era abastada. Seu pai era um rico proprietário de terras inserido nos círculos sociais mais elevados do país. Possuía proximidade com as principais personalidades da época, como o filósofo empirista David Hume.

Em sua vida adulta, Malthus tinha amizades próximas com os principais pensadores revolucionários de seu tempo, como o economista David Ricardo e Jean Jacques Rousseau.

Ambos foram essenciais para a posterior formação do pensamento de Karl Marx.

Thomas Malthus se formou na faculdade anglicana de Cambridge, em matemática e filosofia.

Foi ordenado pastor anglicano 11 anos após sua formatura, exercendo a profissão de professor universitário nesse ínterim. Porém, aos 38 anos deixou a função religiosa e se casou, tendo 3 filhos no total.

Influência política da teoria malthusiana nos dias de hoje

Logo após a publicação de sua teoria, rapidamente seu pensamento se espalhou pelo mundo intelectual. Grandes figuras, como Charles Darwin, basearam-se no pensamento de Malthus para desenvolver suas próprias teorias.

A teoria malthusiana, em união com posteriores desenvolvimentos, norteou muitas das políticas públicas do mundo moderno.

A teoria do darwinismo social tem base em Malthus. A ideia malthusiana de diminuir a população global com a busca do aumento da mortandade gerou graves consequências sociais.    

Com grande parte da Europa tomada por esta filosofia, assassinatos em massa foram legitimados.

Um dos principais exemplos é o Holocausto Africano, realizado no Congo.

holocausto-africano-realizado-no-congo-e-sua-relacao-com-a-teoria-malthusiana

Nesse período, a região era uma colônia da Bélgica. As potências europeias geralmente faziam alianças com os povos nativos, mas não foi essa a postura dos belgas.

Para fazer a colônia render e adquirir mais recursos para seu país, o rei Leopoldo II transformou todos os habitantes do Congo em escravos, praticando torturas, estupros e assassinatos frequentemente.

Estima-se que o Congo possuía 20 milhões de habitantes antes da colonização belga. Já em 1924, um censo realizado no país indicou que a população havia sido reduzida a 10 milhões de habitantes.

Na cosmovisão malthusiana, a competição pela sobrevivência entre os homens seria inevitável. Com o passar do tempo, a teoria adquire uma roupagem científica naturalista através do darwinismo, o pontapé para o surgimento das teorias racistas na Europa.

Muitas etnias europeias começaram a se considerar superiores às demais. Por possuírem melhores condições de vida, colocaram-se na posição de mais evoluídos. Afirmavam que suas vidas tinham mais valor que as das demais.

O principal expoente desta teoria racista foi Francis Galton, primo de Charles Darwin.

Francis-Galton-ea-teoria-da-superioridade-da-etnia-europeia

Galton foi condecorado pelo governo britânico e pela sociedade inglesa em mais de uma ocasião. Recebeu a Medalha Real em 1886, a Medalha Darwin-Wallace em 1908 e a Medalha Copley em 1910.

Darwin, em sua obra Descent of Man, vol. 1, ed.1, pp. 178, disse o seguinte:  

As nações ocidentais da Europa, que agora tão imensuravelmente superam seus antigos progenitores selvagens e se colocam no topo da civilização, devem pouca ou nenhuma de sua superioridade ao direito de herança dos antigos gregos.

Posteriormente, na página 201:

Em algum período futuro não muito distante, como medido por séculos, as raças civilizadas do homem quase certamente exterminarão e substituirão as raças selvagens em todo o mundo”.

Darwin não defendeu explicitamente o assassinato das raças inferiores, mas seus escritos afirmam que esse é um processo natural.

Dessa maneira, sua teoria abre precedentes para chacinas de tais etnias, uma vez que se trata de um processo inerente à natureza, que não pode ser impedido.

Foi o que fez Francis Galton. E foi o que inspirou o movimento neocolonialista.

Darwin nunca censurou publicamente as ideias de Galton ou outros darwinistas sociais.

Hoje em dia, praticamente todos os governos defendem práticas malthusianas, permitindo e estimulando o uso de contraceptivos e a prática do aborto.

  • Quais são as consequências do aborto? O câncer de mama é apenas um dos exemplos.

Influência social nos dias de hoje

Atualmente, ainda se vive de acordo com a teoria malthusiana. Ela está no imaginário da maioria da população, mesmo tendo sido provada falsa.

A mentalidade antinatalista que dominou o Ocidente, tem raízes em Thomas Malthus.

Na Europa, a taxa de natalidade apenas diminui, alcançando a marca de 1,5 filhos por mulher. Se a queda dos nascimentos continuar neste ritmo, em breve pode não haver mais civilização europeia.

Malthus conseguiu influenciar até mesmo a própria religião anglicana, que aceitou o uso de anticoncepcionais no ano de 1930.

  • Os anticoncepcionais foram uma das principais causas da Revolução Sexual. Conheça a história desse movimento que mudou as estruturas da Civilização Ocidental.

A única instituição que não aderiu nem estimulou a prática da teoria malthusiana no Ocidente foi a Igreja Católica.

No ano de 1968, os católicos tomaram uma firme postura contra o pensamento malthusiano através da Carta Encíclica Humanae Vitae, do Papa Paulo VI.

Comente e compartilhe. Quem você acha que vai gostar de ler sobre o que é a teoria malthusiana?

A Brasil Paralelo é uma empresa independente. Conheça nossas produções gratuitas. Todas foram feitas para resgatar os bons valores, ideias e sentimentos no coração de todos os brasileiros.

Artigos novos direto no seu Email

Mantenha-se sempre informado com os conteúdos da Brasil Paralelo. Cadastre-se!

Outros Artigos

VER TODOS