História da Rede Globo – Como um simples jornal se tornou a principal emissora do Brasil?

Redação Brasil Paralelo
Redação Brasil Paralelo

Em 1925, Irineu Marinho fundou um simples jornal impresso no Rio de Janeiro chamado “O Globo”. Provavelmente, ele não esperava que aquele jornal seria a origem de um dos maiores e mais influentes canais de comunicação do mundo. Quando seu filho, Roberto Marinho, assumiu o comando, a história da Rede Globo mudaria completamente.

A emissora possui histórico de forte envolvimento político-econômico, influenciou eleições e já foi acusada de participação em esquemas de fraude e corrupção.

Índice de Conteúdo

  1. História da Rede Globo;
  2. Principais Escândalos;
  3. Posicionamento ideológico da empresa;
  4. A Rede Globo está acabando?

História da Rede Globo

A Rede Globo surgiu em 1925, a partir do jornal impresso “O Globo”. Irineu Marinho foi o fundador do jornal impresso. Seu filho, Roberto Marinho, tornou-se presidente da empresa em 1931, e conseguiu a concessão para TV aberta com Juscelino Kubitschek em 1957.

No mesmo ano da fundação do jornal, Irineu Marinho faleceu devido a um ataque cardíaco.

Roberto não se sentiu pronto para comandar o jornal e deixou a tarefa com Euricles de Matos, jornalista com mais experiência. Roberto trabalhou por anos como jornalista n’O Globo.

Radio-Globo-e-Jornal-O-Globo

Em 1931, com o falecimento de Euricles, Roberto se tornou presidente do jornal e começou a expansão da empresa. Fator essencial na história da rede.

Em 1934, Roberto Marinho fundou a rádio O Globo.

A rádio fez muito sucesso na década de 50 por trazer grandes nomes da música de seu tempo.

Nessa década, Getúlio Vargas foi eleito presidente do Brasil. Com medo de que o ex-ditador voltasse a tomar medidas totalitárias, uma parcela da população se organizou para fazer  ferrenha oposição ao presidente. Dentre os grupos do movimento, estava a rádio Globo.

Era constante a presença de opositores ao governo Vargas nos principais programas da rádio. A principal personalidade a frequentar os programas nessa época foi o líder conservador, Carlos Lacerda.

Na noite de 5 de agosto de 1954, Carlos Lacerda sofreu uma tentativa de assassinato da qual saiu ferido; e seu guarda pessoal, Major Rubens Vaz, morto.

No inquérito instaurado, as investigações apontavam para o guarda pessoal de Getúlio. O Brasil se agitou de uma maneira que a renúncia do ex-presidente parecia cada vez mais próxima.

Seus opositores estavam cada vez mais fortes e com o povo ao seu lado.

Em meio a tudo isso, a Rádio Globo, líder em audiência na época, mantinha a repercussão do tema.

Foi na noite de 24 de agosto de 1954, que Getúlio Vargas, de acordo com as suas palavras,
“deixou a vida para entrar na história”, suicidando-se no Palácio do Catete.

Logo após a rádio Globo entrevistar o ex-presidente Eurico Gaspar Dutra, Carlos Lacerda ressaltou em seu pronunciamento:

Extraordinário papel que a Rádio Globo, a serviço da imprensa falada, da verdade e da justiça, desempenhou nesta revolução branca que hoje tem a sua noite de glória”.

A notícia do suicídio gerou grande comoção popular. O movimento tomou as ruas e provocou atos de revolta contra os atores e órgãos de comunicação identificados como inimigos do presidente morto.

Em comício improvisado na Cinelândia, centro do Rio de Janeiro, um orador acusou a Rádio Globo de continuar transmitindo música popular, desrespeitando o luto pelo presidente morto — enquanto outras emissoras somente transmitiriam música clássica.

  • Aprenda a diferença entre música clássica e música popular moderna.

Um grupo de manifestantes partiu dali em direção à sede da emissora, na avenida Rio Branco, para tomá-la de assalto.

Porém, eles foram impedidos pela presença da Polícia Especial.

Em função desses incidentes a avenida foi interditada pelo Exército, que precisou proteger a Rádio Globo. Em 29 de agosto Lacerda ainda voltou aos microfones da Rádio Globo para interpretar os sentidos da carta-testamento deixada por Getúlio.

Assim, a história da Rede Globo misturava-se com a história do Brasil de forma cada vez mais intensa.

Globo na TV

Em 1950, a televisão chegou ao Brasil. Em 1951, a Globo requereu ao então presidente, Eurico Gaspar Dutra, uma concessão para começar seu canal de televisão. O primeiro parecer foi positivo, contudo, Getúlio Vargas chegou ao poder e negou o pedido.

Foi apenas em 1957 que a Globo conseguiu chegar à TV. O presidente Juscelino Kubitschek aprovou a concessão de televisão para a Rádio Globo, que começou como o canal 4 do Rio de Janeiro.

Antes da Globo estrear na TV, o país passou por uma grande conturbação.

Em 1964, João Goulart reuniu 300 mil pessoas na central do Brasil, no Rio de Janeiro, anunciando a estatização de todas as refinarias de petróleo presentes no país e de várias propriedades rurais para a realização de uma reforma agrária.

João Goulart estava começando um governo visto na época como alinhado ao socialismo.

A Globo de Roberto Marinho foi contra. Roberto apoiou abertamente o movimento cristão anti-comunista.

A “Marcha da Família com Deus pela liberdade” contou com a presença de 500 mil pessoas na cidade de São Paulo.  

Em um editorial de 7 de outubro de 1984, o presidente da Globo, Roberto Marinho, admitiu o apoio ao movimento de 64:

Participamos da Revolução de 1964, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, ameaçadas pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada”.

Estes acontecimentos também foram marcos na história da Rede Globo..

Por apoiar o movimento desde o início, os militares viam a Globo com bons olhos.

Durante o regime, a Globo recebeu altas verbas públicas diversas vezes, ganhou autorização para criação de novas emissoras pelo país e não sofreu nenhuma penalização ou obstrução no processo de criação de monopólio.  

A Rede Globo passou a incorporar diversas rádios e jornais pelo Brasil.

Com o crescimento do grupo Globo, praticamente todas as principais revistas e jornais eram da empresa.

Atualmente, os jornais e revistas da Rede Globo são:

  • Jornais: O Globo , Extra , Valor Econômico , Expresso da Informação.
  • Revistas: Época , Época Negócios, Marie Claire, Quem, Glamour, Casa & Jardim, Autoesporte, GQ, Galileu, Globo Rural, Monet, Casa e Comida, Vogue, Casa Vogue, Crescer, Pequenas Empresas & Grandes Negócios.  

Segundo a pesquisa Monitoramento da Propriedade da Mídia, financiada pelo governo da Alemanha, o grupo Globo alcançava sozinho uma audiência maior do que as audiências somadas do 2º, 3º, 4º e 5º maiores grupos televisivos brasileiros.

A rede Globo alcança 100% das áreas do Brasil que possuem sinal de TV aberta e ainda possui várias rádios e canais de TV a cabo.

A emissora nunca foi condenada por monopólio e continua recebendo altas quantias de dinheiro público.

Principais Escândalos

A história da rede Globo também conta com escândalos em seu percurso.

Escândalo Político

Roberto-Marinho-ao-lado-de-Jose-Sarney

Segundo o documentário, “Muito além do cidadão Kane”, produzido pela BBC de Londres, em 1993, o presidente Tancredo Neves era íntimo de Roberto Marinho.

Logo após a sua eleição como presidente, Tancredo se encontrou em um almoço com Roberto Marinho e seu amigo pessoal, o ex-governador da Bahia, Antônio Carlos Magalhães.

Mesmo Roberto Marinho apoiando a ditadura, ele já estava próximo do novo presidente.

Logo em seguida, o presidente Tancredo Neves anunciou que o ex-governador seria Ministro das Comunicações.

Após a entrada de José Sarney na presidência, devido a morte de Tancredo, o ex-governador foi efetivado no cargo de Ministro.

Nesta época, Sarney já era dono da emissora afiliada da rede Globo no Maranhão.

A principal fornecedora de equipamentos para telecomunicação do governo era a NEC Brasil, propriedade conjunta da Brasil Invest e sua matriz no Japão.

No cargo de Ministro, Antônio Carlos Magalhães alegou que os japoneses da NEC enviaram-lhe uma mensagem acusando o dono e administrador brasileiro de desfalque na empresa.

Imediatamente, o Ministro rompeu todos os negócios do governo com a NEC.

Por não conseguir se sustentar sem o amparo estatal, a empresa teve que se colocar à venda.

Logo que entrou no mercado, a história da Rede Globo se ampliou com mais uma empresa sob seu domínio. A emissora logo comprou a NEC por 1 milhão de dólares.

Após a compra de Roberto Marinho, Antônio Carlos Magalhães reatou todos os acordos econômicos com a NEC, que passou a valer 350 milhões de dólares. A empresa passou a fornecer alto lucro para a Globo.

Após Antônio sair do cargo de Ministro, Roberto Marinho abandonou a parceria de 18 anos com a TV Aratu, de Salvador, e escolheu como nova afiliada da Globo a TV Bahia, de Antônio Carlos Magalhães.

Nesse momento, Antônio Carlos passou a ter controle de praticamente todas as centrais de telecomunicações da Bahia e, posteriormente, foi eleito governador do Estado.

Papa-Tudo

Em 1990, buscando concorrer com a Tele Sena do Silvio Santos, a Rede Globo teve um marco em sua história: o lançamento do título de capitalização “Papa-Tudo”. O título foi feito em parceria com o banqueiro Artur Falk.

Os principais divulgadores do produto eram o Faustão e a Xuxa.

O funcionamento do produto era igual ao da Tele Sena. Bastava comprar o título na lotérica e conferir o resultado.

O “Papa-Tudo” tinha várias promessas. No prêmio principal, eram feitas promessas milionárias, mas além destes, ainda havia uma série de supostos benefícios.  

Uma das promessas era a de que parte do dinheiro seria destinado a caridade. Embaixadores da UNICEF participaram do projeto.

Contudo, não muito tempo depois do começo do “Papa-Tudo”, as lotéricas e os correios pararam de resgatar os bilhetes.

O motivo foi que os prêmios não estavam chegando para os ganhadores, tornando insustentável a continuação da venda.

Os organizadores prometeram indenizar os ganhadores, o que não aconteceu.

R$ 168 milhões não chegaram nas mãos dos sorteados. Este valor, corrigido pela inflação, seria de quase meio bilhão de reais nos dias de hoje.  

Artur Falk foi preso por estelionato. Não há notícias de que alguém da Rede Globo tenha sofrido alguma sanção pelo caso.

A sentença de primeiro grau condenou Artur a 5 anos de prisão. Mas após uma série de recursos, o STJ entendeu que o crime prescreveu. Artur ficou livre e não houve mais punições.

Acusação de corrupção milionária nas Copas do Mundo e de acobertamento

Conforme reportagem da TV Record, o promotor da Suíça, Thomas Hildebrand, descobriu que a empresa International Sport and Leisure, do seu país, pagou mais de 37 milhões de francos suíços em propina a João Havelange e seu genro, Ricardo Teixeira.

Essa empresa suíça é a que garantiu o monopólio da Globo nas transmissões da Copa do Mundo.

João Havelange e Ricardo Teixeira comandaram o futebol mundial e brasileiro por 30 anos, de 1982 a 2012. Em reais, as propinas foram de mais de R$ 220 milhões.

Ambos constantemente concediam exclusividade nas transmissões para a Globo.

Na investigação do Fifagate, ainda em andamento nos EUA, , o delator Alejandro Burzaco admitiu que a empresa na qual trabalhava na Argentina, junto com a Globo e outras, pagou propina a dirigentes do futebol da América do Sul pelo monopólio da transmissão de torneios como a Copa América e a Copa Libertadores.

Ele também denunciou que a Globo participou de uma “caixinha” equivalente a quase R$ 80 milhões, pagos ao cartola argentino, Julio Grondona, pelos direitos de transmissão das Copas de 2026 e 2030.

Os pagamentos teriam sido feitos pela Globo Overseas, empresa ligada ao Grupo Globo com sede em Amsterdã, na Holanda, outra forma de evitar o pagamento de impostos no Brasil.

A Globo Overseas também foi envolvida em outro caso. A empresa da família Marinho tentou enganar o fisco na compra dos direitos da Copa do Mundo de 2002. A Rede Globo não noticiou a fiscalização da Receita Federal.

Um documento de julho de 2006 revelou que a TV Globo sonegou mais de R$ 183 milhões de impostos na compra dos direitos de transmissão da Copa de 2002. A Rede Globo foi multada em R$ 274 milhões.

A enganação ao fisco começou quando a ISMM, empresa representante da Fifa, vendeu para a Globo Overseas e para a TV Globo os direitos de transmissão da Copa de 1998. O valor foi de US$ 220 milhões.

A Globo Overseas pertence à Globinter, que fica nas Antilhas Holandesas que, por sua vez, pertence à Rádio Globo. Os sócios da rádio também são donos da empresa Globopar, ligada à família Marinho.

Segundo a Receita Federal, a Globopar fez remessas para outra empresa no exterior, a Power Company, que serviu de ponte para enviar milhões de dólares para a Globo Overseas.  

Em abril de 1999, a Globinter abriu uma empresa chamada Empire Investment Group nas Ilhas Virgens Britânicas e transferiu para ela os direitos da Copa seguinte. Dois anos depois, a Empire foi vendida à TV Globo por US$ 221 milhões.

Esta manobra fez com que a emissora se tornasse a única detentora dos direitos de transmissão daquela Copa. Em fevereiro de 2001, a TV Globo dissolveu a Empire Investment Group e criou a GEE Eventos Esportivos Limitada.

Logo depois, parte da GEE foi vendida para a programadora de canais Globosat.

Deste modo, a TV Globo e a Globosat passaram a ser donas dos direitos de transmissão dos 64 jogos da Copa de 2002 na TV aberta e nos canais por assinatura, sem pagar impostos no Brasil.

O auditor fiscal, Alberto Sodré, afirmou que as Organizações Globo se utilizaram de uma rede de, pelo menos, onze empresas sediadas em paraísos fiscais para disfarçar a compra dos direitos de transmissão como se fosse um investimento em ações de empresas no exterior.

Sodré descreveu a operação como uma “intrincada engenharia desenvolvida pelas empresas do sistema Globo” para “esconder o real intuito da operação”.

Em 2001, quando a Rede Globo ainda não tinha exclusividade para transmitir os jogos da seleção brasileira, o Globo Repórter fez uma matéria expondo as corrupções de Ricardo Teixeira.

Quando Ricardo Teixeira foi deposto da CBF por escândalos de corrupção, a mesma emissora fez uma matéria no Jornal Nacional elogiando-o e defendendo-o (um dos exemplos). Isso após conseguir a exclusividade dos jogos da seleção com o próprio Ricardo Teixeira.

Em 2018, o jornalista Ken Bensinger lançou nos Estados Unidos o livro “Red Card”, que conta em detalhes o maior caso de corrupção esportiva da história, o Fifagate, revelado em 2015, em que a Globo estava envolvida.

Contudo, para ser lançado no Brasil, a editora da própria Globo comprou os direitos do livro em 2015, antes dele ser lançado. O livro estava previsto para ser lançado em 2015, uma ano antes da Copa, contudo, a editora Globo atrasou seu lançamento.

Depois de muita polêmica, a Globo publicou o livro no Brasil em 2019.

  • Apenas reclamar da grande mídia não melhorará o Brasil. Contribua para que mais artigos como este continuem a ser produzidos e torne-se Membro Patriota da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 mensais. Além disso, você acessa materiais exclusivos todos os meses e ajuda na expansão e continuidade deste trabalho.

Um grande cliente: o PT

Roberto-Marinho-ao-lado-do-presidente-Lula

Devido a Lei de Acesso à Informação, a Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República) informou o quanto a TV Globo havia recebido de verba publicitária federal nos governos de Lula e Dilma.

Na ocasião, a soma dos oito anos da Presidência de Lula (2003-2010) e dos quatro do primeiro mandato de Dilma Rousseff (2011-2014) resultaram em R$ 6.241 bilhões pagos à emissora carioca com dinheiro público.

Aplicando a média do período nos dois anos do segundo mandato de Dilma, até seu afastamento e impeachment, chega-se a uma estimativa de R$ 7 bilhões destinados à Globo no período em que o PT comandou o Brasil.

O Partido dos Trabalhadores foi o que mais aumentou as verbas da Rede Globo.

Propina do governo do Rio

Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, foi preso em 2016 quando seu esquema de corrupção foi descoberto. O governador roubou dinheiro de merenda escolar, refinarias, quentinhas de presídios, obras viárias, bondes de Santa Tereza e plataformas da Petrobras.

Em um interrogatório, admitiu ser viciado em roubar.

Ele foi sentenciado a 100 anos de prisão, estando apenas abaixo do assassino Marcola como o bandido com a pior pena no Brasil.

Cabral realizou um acordo de delação premiada com as autoridades da operação Lava Jato e, em suas denúncias, contou apenas em 2020 o acordo que tinha feito com a Rede Globo.

Ele realizou um capítulo inteiro de denúncias apenas envolvendo a Globo.

O ex-governador afirmou que pagou R$ 80 milhões a Fundação Roberto Marinho para que esta não noticiasse seus casos de corrupção, o que aconteceu durante seu governo de 8 anos no Estado.

  • O que é a Janela de Overton? Entenda esta estratégia de manipulação da opinião pública.

Ele afirmou que o acordo foi feito com os próprios irmãos Marinho, que queriam obter a gerência de estudos, projetos e desenvolvimento de conteúdo para a implantação de um importante equipamento cultural na cidade do Rio de Janeiro. Tudo isso sem licitação.

Ainda de acordo com Cabral, uma licitação fraudulenta permitiu à fundação indicar a construtora responsável pela obra. Isso garantiu a proximidade do governante com a família Marinho, informam os depoimentos à Polícia Federal.

Polemicas-escandalos-e-corrupcoes-na-historia-da-rede-globo

João Roberto Marinho, Roberto Irineu Marinho e José Roberto Marinho, donos da Rede Globo, inauguraram equipamento cultural no Rio.

O teste do sofá

Conforme noticiado pelo site “hypeness”, em transmissão ao vivo no Instagram de Maria Zilda Bethlem, o ator Oscar Magrini fez uma revelação sobre a existência do “teste do sofá” na Globo.

De acordo com o galã da década de 90, a emissora carioca tinha ainda duas salas: uma do pó (fazendo referência ao uso de cocaína) e outra, do ‘c*’.

Em 1988, Magrini relembrou dos tempos nada brilhantes da emissora e mencionou ainda uma conversa que teve com a atriz Cleyde Yáconis, um dos maiores nomes da dramaturgia brasileira:

Meu amigo falou: ‘Cleyde, ele quer fazer novela na Globo. Aí ela me olhou e falou assim: para entrar, você precisa participar do quartinho do PC. Eu falei: ‘PC? Quem é?’. Ela respondeu: ‘É o quartinho do pó e do c*’“, contou para Maria Zilda.

Magrini disse que chegou a questionar o método. O homem de 59 anos afirma que não usava drogas ou mantinha esse tipo de relações sexuais. Ao que Maria Zilda, que também fez sucesso nas novelas da Globo, respondeu:“‘Então não vai entrar’.

Ele ainda disse: “[Disse] Isso a dona Cleyde Yáconis, uma senhora”.

Maria Zilda, a anfitriã da conversa, confirmou que estes eram os bastidores da emissora ao longo dos anos 80. Ela afirmou: “Eu sei muito bem como aquilo funcionava, fui casada com diretor”, fazendo referência ao casamento que teve com o diretor Roberto Talma.

Segundo o site UOL, a TV Globo foi procurada para comentar as falas dos artistas, mas não se manifestou.

Outros relatos afirmam a mesma história suscitada por Oscar Magrini e Maria Zilda.

  • Entenda as consequências filosóficas e psicológicas do relativismo moral na vida de uma pessoa.

Estes são apenas algumas polêmicas da história da Rede Globo.

Posicionamento Ideológico da Globo

Roberto-marinho-e-seus-filhos-na-rede-Globo-de-televisao

Diferentemente de como era nos tempos de Roberto Marinho, seus 3 filhos aproximaram a empresa de uma posição partidária definida.

Roberto Marinho era católico, tinha tendências conservadoras e tinha rixas com Dom Helder Câmara, por causa de posições teológicas não ortodoxas.

Um dos primeiros programas da Globo foi “A Santa Missa em seu Lar”, que começou em 1968. Roberto Marinho favorecia a presença de sacerdotes na emissora, mantendo a cultura das famílias da época.

O autor Silvio de Abreu contou em entrevista ao Ofício em Cena, da Globo News, que na história da Rede Globo, as telenovelas da emissora foram desenvolvidas por escritores identificados como autores de esquerda.

Como consequência, as novelas não retratavam o padrão de vida das pessoas, mas apresentavam uma realidade progressista, alinhada aos ideais dos responsáveis.

Conforme entrevista do diretor Boni publicada na Veja:

Esther: O doutor Roberto [Marinho] também estava interessado mais no jornalismo. Será que as novelas se beneficiaram de uma certa liberdade que a falta de expectativa gerou em relação a elas…?

Boni [interrompendo]: Eles não percebiam exatamente o poder que a novela tinha. Tanto que “O Bem-amado” começa com uma música que era do Vinícius, que dizia:

“Nós estamos sentados sobre um barril de pólvora.” E ninguém reclamava disso o tempo todo (…). Mas eles reclamavam quando um sujeito chamava “Ei, coroné!”, aí eles diziam assim: corta esse “coroné” aí. (Risos)

Roberto Marinho tinha certa tolerância aos comunistas:

“Boni: Não, essa questão, nós nunca… Nossos funcionários, nossos criadores, a maior parte deles eram socialistas ou comunistas, mas o próprio doutor Roberto nunca se importou com isso.
Sabe da história história lá da redação, da invasão, quando eles queriam convencer o doutor Roberto que ele estava cercado de comunistas na redação e que eles queriam entrar para prender os comunistas. O doutor Roberto disse assim: “Aqui ninguém entra. Nos meus comunistas, mando eu. (Risos)”

Desde o início da história da Rede Globo, os principais diretores já defendiam pautas contrárias à cultura ocidental cristã em suas novelas.

Walcyr Carrasco fez propaganda de um livro que exaltava Che Guevara na novela “Amor à vida”. Ricardo Linhares fez um comercial pró-aborto em “Saramandaia”.

Manoel Carlos chama “mais da metade dos brasileiros” de “machistas” e “da idade das pedras” por conta de pesquisa errada do IPEA sobre estupro. Lícia Manzo e Daniel Adjafre discutem o incesto em “Sete Vidas”.

A emissora segue a mesma linha nos dias de hoje. Desde sempre suas novelas atacam abertamente os valores familiares.

  • Conheça a história e método do grupo de intelectuais que se organizou para destruir a moral cristã-ocidental: a Escola de Frankfurt.

Várias programações da emissora zombam diretamente da Fé Cristã. No vídeo abaixo, uma das produções do programa “Zorra Total” zomba de Nossa Senhora de Fátima.

São vários os programas da Rede que zombam da Eucaristia , de padres e de pastores.

Na novela Malhação, a ideologia LGBT e a ideologia de gênero são aplicadas e tratadas com normalidade para pré-adolescentes.

Cada vez mais nos dias atuais, cresce a rejeição ao posicionamento anti-cristão e imoral da Rede Globo.

A Rede Globo está acabando?

Historia-de-Roberto-Marinho-e-historia-da-Rede-Globo

Em 2020, a história da Rede Globo passou por uma de suas maiores crises. O aumento de despesas e a queda na receita com publicidade fizeram o lucro líquido do grupo Globo cair 78% em 2020 (R$ 167,8 milhões).

As despesas financeiras –encargos e juros de empréstimos e financiamentos– dispararam 385% (R$ 1,9 bilhão). Com a alta do dólar em 2019, a dívida da Globo passou de R$ 3,47 bilhões para R$ 5,4 bilhões.

Já a receita líquida consolidada com vendas, publicidade e serviços — principal fonte de renda do grupo — caiu de R$ 14 bilhões em 2019, para R$ 12, 5 bilhões em 2020.

O vírus chines é visto como um dos focos da crise.

A revolta popular contra a emissora foi um dos principais fatores de sua queda.

Devido às profanações realizadas com o que a população considera como mais sagrado, a população organizou boicotes a televisão. A hashtag “Globo lixo” já alcançou o primeiro lugar nos trending topics do Twitter no Brasil e quarto lugar no mundo.

O presidente Jair Bolsonaro cortou a verba pública da Globo em 60% ao ser empossado, e prometeu cortar mais caso a empresa não se adeque à Lei de concessões.

Suas novelas e até mesmo o Jornal Nacional, programa de maior visualização da emissora, estão ficando fora do 1º lugar da audiência brasileira em uma série de ocasiões. A audiência que ficava acima dos outros concorrentes somados chegou ao fim.

Para lidar com os efeitos da pandemia sobre os negócios, o grupo criou um comitê de crise, composto pelos principais executivos da companhia.

São realizadas reuniões frequentes para tratar de vários pontos em alerta, como gestão de caixa, negociação de contratos, direitos de transmissão, negociações de recebíveis de clientes estratégicos, e outros temas.

Em 2020, a Globo arrecadou R$ 49 milhões na venda de capital imobilizado, por exemplo, contra uma perda de R$ 2,4 milhões na mesma operação no ano anterior.

No início da pandemia, a Globo ampliou a programação do jornalismo e diminuiu drasticamente as produções como séries e novelas, que tiveram suas gravações interrompidas.

Algumas tiveram seus finais antecipados e outras tiveram que ser interrompidos completamente.

A pandemia também comprometeu o calendário de eventos esportivos dos quais a Globo detém os direitos de transmissão, diminuindo ainda mais os seus lucros.

Embora não seja uma certeza que a história da Rede Globo está chegando ao fim, é certo que a emissora passa pela sua pior crise.

Comente e compartilhe. Quem você acha que vai gostar de ler sobre a história da Rede Globo?

A Brasil Paralelo é uma empresa independente. Conheça nossas produções gratuitas. Todas foram feitas para resgatar os bons valores, ideias e sentimentos no coração de todos os brasileiros.

Outros Artigos

VER TODOS