Danni Ferreira
A Humana Comédia
A Humana Comédia

Por uma vida mais ordinária

Por 
Danni Ferreira
5/27/2022
Compartilhe com amigos

- Bom dia, minha flor. Aonde vamos?

Ele não era qualquer taxista, logo eu viria a descobrir. Seu Rios era especial.

Compartilhe com amigos

Nos 32 minutos de duração da corrida, Seu Rios me contou que conheceu seu grande amor no Bairro Bom Jesus.

- Era a mulher da minha vida… Anos depois a vida não nos quis mais juntos. Muito triste, eu fiquei.

Pobre homem, pensei. A mulher deve ter morrido, ela adoeceu, traiu, fugiu, quem sabe.

- Eu tive 11 filhos com essa daí, a legítima. Daí apareceu uma mulher que me desgraçou a vida. Fiquei com ela também, tive 5 filhos, a outra descobriu e quis me deixar.

Pobre homem coisa nenhuma. Duas mulheres? 16 filhos? O que o senhor quer mais, Seu Rios? 

Ah, ele queria. Queria mais.

- Mandei a desgraçada pro Rio de Janeiro. Dei dinheiro e falei: vai embora pra lá que tem bastante homem. Ela foi. Mas voltou em 15 dias. Acho que não tinha homem suficiente. Essa aí, a desgraçada, construiu uma casa lá na Vila Bom Jesus. Ali onde eu conheci a mulher da minha vida.

- E o senhor mora com ela?

- Que nada. Moro com a terceira, lá em Guaíba. Com ela tenho 9 filhos.

É, ele queria mesmo mais.

- Fora os 4 que tenho em São Paulo. E os outros 3 que tenho no Rio.

Não consegui fazer as contas. Acho que foram mais de trinta filhos e três mulheres: a mulher da vida dele, a desgraçada e a terceira, lá de Guaíba.

- A desgraçada... que preta bonita. Um traste, mas bonita. Uns olhos assim meio gateados, cor de mel. A terceira, a de Guaíba, é uma mulata de cabelo na cintura. Bonita também. Tem também uma outra aí, mas não é oficial. É bonita, mas não tanto... é meio sem graça porque é branca, assim feito a senhora.

Branca e sem graça, feito eu. 

Foi então que ele continuou, como se já não tivesse contado o bastante:

- Fui pro Rio uma vez e acabei com aqueles caras do morro metidos a sambistas. A cariocada se encantou com o gogó aqui. Eu tinha um conjunto, o “Café, Som e Leite”. Só samba de raíz. Se eu cantar, a senhora se apaixona.

Resolvi correr o risco de me apaixonar e pedi: canta, Seu Rios. Ele cantou. E como Seu Rios queria sempre mais, não parou de cantar por 5km. 

- E a mulher da sua vida, Seu Rios? Mesmo com tantas outras, ainda é a mulher da sua vida?

E ele, com sua voz de sambista de morro gaúcho, respondeu:

- Ora, minha filha... Claro que é! Ela é a única que eu amo. O grande amor da minha vida, um amor inesquecível. Que mulher, a... Poxa, como ela se chamava mesmo? Me fugiu o nome!

Eu falei. Eu sabia.

Desde o primeiro segundo em que entrei no táxi, eu senti que o Seu Rios era especial.

Compartilhe com amigos

Artigos novos direto no seu Email

Mantenha-se sempre informado com os conteúdos da Brasil Paralelo. Cadastre-se!

Publicações recentes

Convidados